Horário de Funcionamento: Das 7h às 18h

Rua Antonio Ostrenski, 272
Centro - Apucarana/PR
86800-200
(43) 3422-0551
Horário de Funcionamento: Das 7h às 18h

No início da década de 1950, o povo ucraniano sentiu necessidade de um acompanhamento espiritual. Foi então até Prudentópolis-PR em busca das Irmãs Ucranianas Servas de Maria Imaculada, do Rito Bizantino Ucraíno-Católico. Com muita coragem e grande incentivo dado pelo povo, as Irmãs chegaram oficialmente em 1954, dando início ao trabalho de evangelização e de educação cristã aos filhos de descendentes de ucranianos. Naquela época, tudo era muito difícil, mas com a ajuda de muitas famílias e padres, elas sentiram que aqui era o seu grande campo de trabalho, dedicando-se com muito amor ao povo apucaranense.

Quem percorre os corredores do Colégio Nossa Senhora da Glória, hoje um majestoso prédio na área central de Apucarana, pode não imaginar o quão difícil foi atingir o estágio atual. O trabalho de implantação da Escola começou em 1951, quando foram adquiridas as três primeiras datas. Mais de dois anos se passaram até que a construção fosse iniciada. Dois documentos históricos – o diário do pioneiro Jaroslau Maistrovicz e as anotações das Irmãs Servas de Maria Imaculada – mostram todo o desenrolar da verdadeira saga das religiosas em implantar uma unidade educacional em uma cidade nova do interior do Paraná. Para se ter uma ideia das dificuldades, as primeiras irmãs sequer tinham lugar para pernoitar e se alimentar.

A hospitalidade dos apucaranenses, porém, permitiu a abertura de suas casas para essas mulheres obstinadas e determinadas a colocar em funcionamento a escola. Foi apenas em 1952, segundo as anotações do pioneiro e das irmãs, que as religiosas passaram a ocupar uma casa própria, onde apenas pernoitavam, pois as refeições ainda eram feitas nas residências das pessoas que se compadeciam das dificuldades das pioneiras.

A dedicação das irmãs e a contribuição da população de Apucarana e cidades vizinhas foram pontos fundamentais para que o empreendimento prosperasse. Outro fato, entretanto, merece registro: a participação do padre Armando Círio, na época vigário da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, que percebeu a importância de se ter em Apucarana uma escola dirigida por religiosas. Foi ele que, em 12 de setembro de 1953, abençoou a pedra fundamental da escola. Em 15 de agosto de 1954, isto é, três anos após a chegada das irmãs, a Escola Nossa Senhora da Glória abriu sua primeira turma do jardim de infância, composta por 36 alunos. Mas se este foi o primeiro grande passo para a concretização da escola, as dificuldades, principalmente financeiras, continuaram. Em 30 de janeiro de 1955, conforme as anotações das irmãs, o padre Armando Círio mostrou sensibilidade ao clamor das religiosas e doou 20 mil cruzeiros para a construção de quatro metros de paredes para ampliar as salas de aulas.

A Escola, ainda em 1955, chegou a ter 130 alunos matriculados, mas o prédio apresentava condições precárias, faltando janelas e parte do telhado. Com a participação da comunidade, as obras foram realizadas, para conforto e segurança dos alunos e professores. Em 1959, quando Irmã Eleotéria Skrobot assumiu a direção do estabelecimento, a Escola sofreu uma alteração na denominação, passando a se chamar Ginásio Nossa Senhora da Glória. Nem mesmo as intempéries esmoreceram as irmãs do Glorinha, que viram, em setembro de 1965, um furacão arrancar todo o telhado da recém-construída Escola. Foram momentos de pânico, mas a fé inabalável em Deus e a confiança na população de Apucarana permitiram que os danos fossem reparados e o “Glorinha” voltasse a funcionar. Coube às irmãs da Escola Nossa Senhora da Glória a implantação dos primeiros cursos profissionalizantes em Apucarana, nos meados de 1966, quando foram adquiridas cinco máquinas de costura. Inicialmente, 12 alunas se matricularam para as aulas de bordado e costura.

Os mais antigos habitantes de Apucarana ainda são capazes de lembrar a determinação das irmãs do Glorinha, que por 15 anos eram vistas caminhando pelas ruas da cidade, enfrentando a poeira e a lama. De 1951 a 1966, as irmãs não tinham carro próprio e contavam com a ajuda da população quando precisavam se deslocar para lugares mais distantes. Inúmeros outros fatos são relatados nas anotações das irmãs, indicando as realizações, as conquistas e o reconhecimento pelas atividades educacionais.

A participação de padres e bispos em vários momentos da escola é mencionada como fundamental para a continuidade dos trabalhos. Como cita o pioneiro Jaroslau Maistrovicz em seu diário, a construção da Escola Nossa Senhora da Glória levou 28 anos para ser concluída. Ele lembra que enquanto os operários erguiam as paredes, lá estavam as irmãs lecionando e preparando as crianças para o futuro. Desta forma, o Glorinha passou a ser uma escola para os descendentes de ucranianos e também aos apucaranenses. Trazer os pais para participar da vida do “Glorinha” era uma questão de tempo e a aproximação aconteceu a partir da fundação do Grêmio Estudantil. Nas décadas de 1970 e 1980, o Glorinha continuou incentivando uma educação que ultrapassava as quatro paredes de uma sala de aula, motivando a prática esportiva e as inúmeras apresentações artísticas que se davam através de campeonatos de fanfarras, festas juninas e festas culturais.

A preocupação ecológica se fez mais presente através da Patrulha Verde. A cada ano, dezembro era marcado por alegres e festivas formaturas. Cada vez mais seguia-se fielmente os passos da fundadora da Congregação, a Ir. Josafata, que deixou a diretriz de semear com o coração aberto a Deus e ao próximo.

Os anos 90 foram marcados pela implantação do ensino da informática, da língua espanhola, por feiras de ciências, grandes espetáculos, conquistas esportivas, gincanas, encontros espirituais, viagens culturais e pela aquisição da chácara. Alguns momentos foram especialmente marcantes, como a comemoração do centenário da Congregação e o espetáculo alusivo aos 500 anos do Brasil.

Adentrando ao século 21, este foi marcado por grandes conquistas e comemorações. Um novo século cheio de esperança, descobertas e realizações. Em 2004, a Escola comemorou o ano jubilar – 50 anos de educação, marcados por diversas atividades alusivas: oração, a arte em todas as suas formas e a comemoração festiva.

Em 2006 foi implantado o Ensino Médio e, a partir desta data, o estabelecimento passou a ser chamado de “Colégio Nossa Senhora da Glória”. Uma conquista que marcou a vida dos nossos estudantes, resultando com aprovações em universidades e preparação para a vida profissional.

Em 2008, com alegria e muita festa, um fato histórico aconteceu para o Colégio: a formatura da primeira turma do Terceirão.

Ano após ano, o Glorinha se destaca pelo seu vigor e dinamismo, mantendo um alto nível de excelência que é reconhecido pela comunidade apucaranense. Momentos marcantes, experiências únicas, pessoas dedicadas que se destacaram e continuam deixando suas marcas na vida escolar do Glorinha.

Em 2012, um grande sonho se concretiza: depois de muitos anos de espera é inaugurado o tão sonhado Centro Esportivo Madre Josafata, que, além de oferecer a prática de várias modalidades esportivas, tem se destacado por seu tamanho, beleza e modernidade. Espaço para a realização de grandes eventos, festas, esportes e a realização dos Jogos Estudantis da Imaculada (JEI) e dos jogos municipais e regionais.